Tanque de gás natural para veículos não precisará mais ser cilíndrico

Pesquisadores utilizaram sabugo de milho como matéria-prima para fabricar uma espécie de esponja de carbono capaz de armazenar gás natural a uma pressão sete vezes menor do que a existente nos atuais tanques utilizados em automóveis.

O gás natural já se tornou uma realidade para muitos motoristas, principalmente nos maiores centros urbanos do Brasil, onde a existência de postos de abastecimento coloca o gás como uma alternativa mais barata em relação ao álcool e à gasolina. A nova esponja, quando totalmente desenvolvida, poderá significar uma maior autonomia para esses veículos, que hoje devem reabastecer a cada 300 quilômetros rodados.

Os sabugos de milho são convertidos em briquetes de carbono. No interior dos briquetes cria-se naturalmente uma estrutura complexa de nanoporos, que conseguem armazenar gás natural com a incrível densidade de 180 vezes o próprio volume do briquete.

"Nós estamos muito entusiasmados com essa descoberta porque ela pode levar à construção de tanques planos e compactos que poderão ser instalados sob o piso de um veículo de passageiros de maneira similar aos tanques de gasolina," explica Peter Pfeifer, coordenador da pesquisa. "Uma tecnologia assim poderá tornar o gás natural um combustível alternativo largamente atrativo para qualquer um."

Sem dúvida os grandes tanques cilíndricos hoje utilizados tomam um espaço precioso, quando não todo o porta-malas dos veículos. Mesmo assim ele tem sido escolhido por muitos proprietários de veículos, que acreditam que a perda de espaço é compensada pela grande economia no gasto com combustível. O meio- ambiente também é beneficiado, porque o gás natural é menos poluidor do que a gasolina.

Os briquetes de sabugo de milho conseguem armazenar 118 gramas de metano por litro de carbono a uma pressão de 500 psi. Um tanque convencional utilizado em veículos opera a 3.600 psi.

A baixa pressão de armazenamento com briquetes permitirá que os tanques de gás sejam construídos em variados formatos, podendo ser inseridos no projeto normal de um veículo.

FONTE: Inovação Tecnológica

Voltar