Novo modelo escolar é apresentado

O governo federal promove hoje 14 de agosto em Brasília, o lançamento de dois programas destinados a compra de ônibus seguros para o transporte escolar. O Caminho da Escola vai garantir a Estados e municípios adquirir veículos mais baratos destinados a alunos da zona rural. O setor privado também terá uma linha de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para comprar ônibus escolares. É o Pró-Escolar. No total serão disponibilizados R$ 600 milhões.

Os veículos escolares são padronizados e possuem certificação de segurança garantidos pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). O programa vai oferecer uma linha de financiamento do BNDES de R$ 300 milhões. O objetivo é renovar a frota escolar, dar segurança ao transporte das crianças e reduzir o abandono escolar de cerca de 8,4 milhões de alunos que residem em áreas rurais. O programa traz inovações, como isenção de ICMS, PIS, Cofins e IPI.

Diversas montadoras aderiram ao programa. A Mercedes-Benz apresentou um novo chassi, o LO 812 que, entre outras novidades, está com maior peso bruto total (PBT), de 8.000 quilos, 300 a mais que a versão atual, permitindo carroçarias de até 8,3 metros de comprimento. O microônibus leva até 31 assentos no salão de passageiros, além do motorista, permitindo transportar mais alunos por viagem.
Para alcançar 8 mil quilos de PBT, a versão recebeu novos eixos dianteiro e traseiro, mais robustos e com maior capacidade de carga. Outra novidade são os freios a disco nas quatro rodas, com acionamento totalmente pneumático, garantindo maior segurança e melhor eficiência de frenagem.

A divisão Volare, da Marcopolo, expôs dois modelos - V6 e W8 - na versão Escolarbus. "Fomos pioneiros na fabricação de um modelo apropriado para o transporte escolar, em maio de 1999. Também criamos cinco diferentes versões para oferecer diferentes opções para o transportador, principalmente fora dos grandes centros urbanos", diz o gerente executivo da Volare, Gelson Zardo. (Gazeta Mercantil/Guilherme Arruda)

Voltar