GNV no mundo - Um panorama sobre alguns dos principais consumidores de GNV do mundo

O incentivo ao GNV varia de um país para outro, e depende necessariamente de oferta, procura e legislação. Em diversos países, o governo estimula ou mesmo exige o uso do combustível em seus veículos, visando uma menor agressão ao meio ambiente e levando em consideração, além do mercado, a viabilidade econômica do combustível.

América do Sul

Dentre os países da América do Sul que mais consomem GNV, encontram-se Brasil, Venezuela, Bolívia e Argentina. Neles, o uso do GNV cresce constantemente, em função do crescente número de descobertas de jazidas petrolíferas e de Gás Natural, e do incentivo governamental às conversões. A Argentina está em primeiro lugar no ranking mundial de consumidores de Gás Natural em veículos. Pelas estatísticas, o país possui em circulação mais de 1.698.700 veículos movidos pelo combustível, com 1.753 postos de abastecimento disponibilizando GNV. O país importa cerca de 2 milhões de metros cúbicos por dia do Gás da Bolívia para abastecimento próprio.

A Bolívia, contando com mais de 84.130 veículos a GNV, é um dos maiores produtores e exportadores de Gás Natural do mundo. O país tem disponível cerca de 50 trilhões de metros cúbicos do Gás e, desse volume, boa parte é comprada pelos brasileiros e argentinos. Um exemplo de incentivo governamental para as conversões no país é o que ocorre no departamento de Cochabamba , região onde mais se utiliza Gás Natural no país: estava em estudo na Federação Departamental de Autotransporte "15 de Abril" um decreto de lei regulamentando a conversão de veículos a GLP ao uso de GNV. A incorporação obrigatória de Kits de Gás Natural em automóveis a serem comercializados em território nacional, que possui cerca de 44,146 veículos a GNV em circulação (pelas estatísticas de 2007), foi o plano utilizado na Venezuela. O país tem uma grande reserva de Gás Natural, mas dedica uma boa parte de sua produção ao desenvolvimento de campos de petróleo.

Já o Brasil está em terceiro lugar entre os países que mais consomem GNV no mundo, com aproximadamente 1.532.844 veículos movidos pelo combustível. Parte do Gás Natural absorvido pelo segmento veicular é proveniente da Bolívia, fato que tende a ser invertido após 2010, devido ao início de produção nas jazidas recém-descobertas da Bacia de Santos. O especialista Julio Bueno, secretário de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, acredita que o uso do Gás Natural é promissor no futuro - o insumo já representa quase 10% da matriz energética do país. Para Davidson Santos, vice-presidente da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (ABEGÁS), "a produção será mais do que suficiente para atender a crescente demanda local".

Ásia

Na Ásia, entre os maiores consumidores de GNV estão a Índia, o Irã, a China, a Tailândia e o Paquistão. O Paquistão, a Índia e o Irã, necessariamente nesta ordem, são os três países que mais consomem GNV no continente asiático. O Paquistão possui 1.650.000 veículos movidos pelo Gás, e o Irã, 730.107 veículos. A Índia, de acordo com dados deste ano, tem em seu país 821.872 veículos movidos a GNV, com 315.200 postos de abastecimento. Neste país, por exemplo, a Autoridade Regional de Transporte da Índia (RTA) determinou que os operadores de transporte escolar, até este mês (julho), convertam seus veículos de GLP a GNV .

No começo de 2008, o número de veículos a Gás Natural na China era de cerca de 200.873. Mês passado, o país assinou um acordo de exploração conjunta de Gás Natural com o Japão, que será executada no Mar do Leste da China.

Na Tailândia, país que já possuía 71.014 veículos a GNV em 2007, o incentivo ao uso do combustível é notável, mas a recente crise por causa dos custos dos combustíveis está levando motoristas a alterarem o sistema de alimentação dos motores de seus carros para o GLP.

Europa

Alguns dos grandes consumidores de GNV da Europa são a Itália, a Ucrânia, a Alemanha e a Rússia. O foco das atenções, no que diz respeito a variação nos preços dos combustíveis, concentra-se atualmente no continente europeu, mas em especial em Portugal, devido às crescentes instabilidades neste setor.

Em 2007, a Itália vinha em primeiro lugar no grupo, com 432.900 veículos a GNV, seguida da Ucrânia (120.000), da Rússia (95.000) e da Alemanha (64.454). Na Europa, A Itália é o país mais antigo a adotar o GNV.

Portugal, também em 2007, possuía 379 veículos movidos pelo insumo, valor pequeno em comparação a outros países. Após os seguidos aumentos nos preços dos combustíveis, os portugueses irão pagar mais barato pelo Gás Natural: no dia 01 de julho (Terça), os preços do Gás Natural vendido no país tiveram uma queda tarifária global de 1,2 %, e para os consumidores residenciais com consumos anuais inferiores a 10 mil metros cúbicos, a queda foi de 3,4%.

América do Norte

No final de 2007, as estatísticas apontavam que os EUA possuíam cerca de 100.000 veículos movidos a GNV, seguidos pelo Canadá, com 12.140 veículos. Os EUA utilizam o GNV inclusive em ônibus escolares, e na cidade de Nova York é obrigatório.


Voltar