Oficializaram o pré-sal

O Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e o governnador do Espírito Santo, Paulo Hartung, deram início, nesta terça-feira, dia 02 de setembro, à extração oficial de petróleo da camada pré-sal, a bordo da plataforma JK P-34, localizada no Campo de Jubarte, na porção capixabada Bacia de Campos.
 
Também participaram da solenidade o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli de Azevedo, e os ministros das Minas e Energia, Edison Lobão, e da Comunicação, Franklin Martins, entre outras autoridades e diretores da empresa.
 
Os pronunciamentos
Lula - O presidente da República destacou a importância histórica da conquista em produzir petróleo em condições desafiadoras como as encontradas na camada pré-sal e ressaltou o papel da Petrobras como promotora de tecnologia. “A Petrobras é peça importante para produzir o desenvolvimento tecnológico do País.Gostaria de dizer a vocês a dimensão histórica de poder ter nas mãos uma amostra de óleo extraída a quatro mil metros de profundidade”, disse o presidente.
 
Gabrielli - José Sergio Gabrielli de Azevedo, presidente da Petrobras, ressaltou a capacidade da Petrobras em colocar em produção o primeiro poço da camada pré-sal, em apenas dois anos após sua descoberta.
O primeiro óleo do pré-sal, no campo de Jubarte, servirá, segundo Gabrielli, para alavancar o desenvolvimento dos outros poços de pré-sal da Companhia, localizados na Bacia de Santos. “Esse poço vai nos ensinar o que fazer em Tupi, em Júpiter, em Carioca. Essa é uma nova era porque demonstra que podemos produzir cada vez mais, aumentando nossa capacidade produtiva”, destacou o presidente da Petrobras.
 
Hartung – O governador Paulo Hartung destacou que era uma honra para os capixabas ter no Estado o início da produção nacional de petróleo na área de pré-sal. “O Brasil está dando, aqui, no Espírito Santo, o histórico primeiro passo numa nova fronteira de exploração de petróleo”, pontuou.
 
O governador ressaltou, ainda, que o Brasil experimenta hoje os resultados de um marco regulatório inovador e ousado que, em uma década, foi capaz de ampliar de 3% para 10% a participação do setor de petróleo e gás do PIB. “Um marco que está levando o Espírito Santo a se tornar o maior fornecedor nacional de gás, com a destinação de 20 milhões de metros cúbicos/dia já em 2009. Um marco regulatório que incentivou pesquisas e nos levou a novas descobertas, como as áreas de pré-sal”.

Pioneirismo
O diretor de Exploração e Produção da Petrobras, Guilherme Estrella, afirmou que o principal ganho a ser obtido na produção do pré-sal no Espírito Santo é o de acumular experiência prática. "É uma espécie de poço-escola, em que produzimos para ver como o reservatório se comporta. Para a Petrobras, é algo muito importante: são os primeiros dados para comprovar a existência de uma grande reserva petrolífera, que vai do litoral do Espírito Santo ao de Santa Catarina, que já foi toda mapeada pela Petrobras".

Produção
O gerente geral da Unidade de Negócios da Petrobras no Espírito Santo, Márcio Félix, afirmou que inicialmente serão produzidos 10 mil barris por dia no pré-sal de Jubarte, com perspectiva de chegar em breve a 18 mil barris. “Trata-se de um volume espetacular. São 18 mil barris por dia, o que, para um poço exploratório, é espetacular", afirmou.
 
Para se ajustar às características do óleo leve do pré-sal (30° API), foi necessário realizar pequenas adaptações na planta de processo da FPSO JK, o que representou um investimento de cerca de R$ 50 milhões.

O pré-sal
A camada do pré-sal é uma porção do subsolo do oceano que se formou há cerca de 150 milhões de anos e que se estende por 800 quilômetros, do Espírito Santo a Santa Catarina. As estimativas dão conta de que a camada do pré-sal armazena aproximadamente 80 bilhões de barris de petróleo e gás.

A extração começou pelo Espírito Santo, na segunda quinzena no mês passado, em fase de testes, pois as condições no mar capixaba são as mais favoráveis. A Petrobras tomou a decisão pela estrutura que já existe em Jubarte, onde quatro poços já estavam interligados à P-34.

Do ponto de vista operacional, no campo de Jubarte a camada de sal tem apenas 200 metros, enquanto só a camada de sal a ser atravessada na bacia de Santos, por exemplo, pode superar 2.000 metros - com profundidade total de 7.000 metros.
 
 
Investimentos
Nos últimos dois anos a Petrobras investiu aproximadamente R$ 1,7 bilhões na perfuração de 15 poços que atingiram as camadas pré-sal. Oito já foram testados e indicaram presença de petróleo leve de alto valor comercial e grande quantidade de gás natural associado, mas ainda não tiveram declarada a comercialidade, estando em fase de avaliação.

Para atingir as camadas pré-sal, entre 5 e 7 mil metros de profundidade, a Petrobras desenvolveu novos projetos de perfuração, onde mais de 2 mil metros de sal foram atravessados. Os dados obtidos por esses poços possibilitaram delimitar com elevado grau de segurança que as rochas do pré-sal estendem-se por uma área que vai do Espírito Santo a Santa Catarina, com 800 km de extensão e 200 km de largura, em lâmina d’água entre 1 e 3 mil metros de profundidade.

Voltar