Novas oportunidades para o GNV

A partir de janeiro de 2009, entram em vigor exigências mais restritivas do Conama – Conselho Nacional do Meio Ambiente, relativas a níveis de emissões resultantes da operação de veículos pesados, como ônibus e caminhões. O óleo diesel hoje produzido no país contém níveis de enxofre que não permitem que os motores desses veículos atendam às novas exigências, já previstas desde 2002.

Por outro lado, o diesel de menor teor de enxofre terá um preço extremamente mais ele­vado do que o atualmente praticado no país.

Em inúmeros outros países da Europa, América do Norte e Ásia, já se dispõem de frotas movidas a GNV, não só por razões do maior custo do combustível derivado do pe­tróleo, mas também por conta de propiciar a melhoria dos níveis de poluição das grandes cidades. No Brasil, essa solução vem sendo avaliada há vários anos.


Hoje, o Brasil já dispõe de tecnologia e conhecimento amplos para a utilização de gás natural em veículos pesados, através de diversas empresas, as quais já reúnem grande experiên­cia com fabricação de motores, e suporte de frotas no exterior. Essa é uma grande oportuni­dade para o desenvolvimento do mercado de veículos pesados a GNV, em nosso país.

No sentido de organizar esforços, o Co­mitê de GNV do IBP está planejando realizar nos próximos meses, um workshop sobre o assunto. O propósito é debater experiências e dar conhecimento das novas tecnologias, que muito poderão contribuir para o melhor aproveitamento dessa oportunidade. As datas desse evento serão brevemente anunciadas.

Fonte: GNV News/IBP

Voltar