GNV chega ao DF a partir de novembro

Motoristas do Distrito Federal vão ter mais uma opção de abastecimento a partir da segunda semana de novembro. Ontem, donos de veículos adaptados para rodar com o gás natural veicular (GNV) puderam encher o tanque gratuitamente. Era dia de teste no posto do Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), primeiro a vender o gás no DF. A expectativa é que o metro cúbico do combustível seja vendido abaixo do preço do álcool, que hoje custa, em média, R$ 1,55 no Plano Piloto.

A propaganda dos empresários que atuam na conversão e da rede Gasol, empresa que vai operar dois postos previstos para a venda do GNV na região, se apóia no rendimento do carro. Segundo Antônio Matias, diretor da Gasol, o motor roda 30% a mais com o gás. Atualmente, existem 200 carros no DF com adaptações para o GNV. A expetativa da rede de postos é que esse número dobre até o fim do ano.

Edson Fabiano, coordenador da área de gás da Recopeças, aposta no crescimento da procura pela conversão do motor. “Há cerca de 70 mil pick ups no DF e pelo menos 60% delas vão começar a rodar com o GNV”, garante. “Brasília tem mercado para o gás porque tem muito carro grande com cilindrada maior cujos donos vão optar pela conversão porque o consumo é menor com o GNV”, afirma Arilson Manuel, chefe de oficina da Disbrave. O custo da conversão varia de R$ 2,8 a R$ 4,5 mil.

O empresário José Carlos Batista aguarda com ansiedade a economia. Ele converteu o carro de sua empresa neste mês por R$ 2,8 mil e ontem abasteceu pela primeira vez com o gás. “Teoricamente a economia é de 70%, vamos ver na prática”, diz. O taxista Paulo Batista comprou um carro com adaptação para o gás e espera gastar pelo menos metade do que paga pela gasolina. “Hoje são R$ 50 por dia, espero que com o GNV o valor caia”, afirma.

Voltar