Vale negocia participação em reserva de gás natural

A mineradora Vale está apostando alto para aumentar sua participação no setor petrolífero. A companhia anunciou em 23/01/09 que negocia com a Woodside Energia a compra de metade da participação nos blocos BM-S-48 e BM-S-55, ambos na Bacia de Santos. A idéia é buscar áreas com potencial em gás natural, mantendo a estratégia da empresa, que estreou no setor em um leilão da Agência Nacional do Petróleo (ANP) em 2007.

Além da Woodside, o consórcio que tem os direitos exploratórios sobre a área conta atualmente com a Repsol (40%) e a Petrobras (35%). Para ser fechado, o negócio ainda precisa de aprovação da ANP. Se concluído, a Vale terá metade da participação da Woodside, ou seja, 12,5%. A área abriga o poço de Panoramix, onde foram encontrados indícios de hidrocarbonetos. A Vale não informa os valores da negociação.

O avanço da companhia na área exploratória já havia iniciado para além dos leilões da ANP, em 2008, quando ela adquiriu 17,5% da participação da Shell no bloco BM-ES-28, na Bacia do Espírito Santo, em setembro e 10% da participação da Repsol no BM-ES-21 em dezembro. Com estas duas áreas, a Vale soma hoje 17 adquiridos localizados nas bacias de Santos, Pará-Maranhão e Parnaíba.

Uma delas é o bloco BM-S-4, na Bacia de Santos, que teve o maior ágio da primeira rodada de licitações da ANP, em 1999. A concessão é operada pela italiana Eni, que já fez descobertas de petróleo e gás no local.

A companhia também está finalizando a criação de sua nova subsidiária para a área de Exploração e Produção. A unidade será criada a partir da aquisição da empresa especializada em pesquisas petrolíferas, PGT, ocorrida em novembro do ano passado.

A expectativa da Vale é de que até o fim de março seja concluída a criação dessa unidade. A compra de PGT totalizou US$ 15 milhões. A companhia prestava serviço de avaliação na área de exploração para a Vale desde 2007 e já havia assessorado a mineradora da rodada da ANP.

Estratégia

"A exploração de fontes de energia como o gás natural está inserida no objetivo estratégico da Vale de diversificar e otimizar nossa matriz energética visando à redução de custos e a mitigação dos riscos. Desta forma, temos buscado a identificação de depósitos no Brasil através de participações em consórcios para exploração de gás natural nas bacias sedimentares brasileiras", explica a Vale em nota.

Maior produtora de minério de ferro do mundo, a Vale iniciou as atividades na área petrolífera em 2007, quando participou da 9ª Rodada de Licitação de Áreas Exploratórias da ANP. Com a iniciativa, a empresa pretende compensar a escassez de energia para os projetos exploratórios do país. Tal deficiência, como mesmo admitiu o presidente da Vale, Roger Agnelli, representa uma das maiores deficiências para a empresa.

A entrada no setor de petróleo colocou a Vale no mesmo rol de gigantes da mineração, como a BHP Billiton, que diversificam as atividades por meio de investimentos na busca de hidrocarbonetos.

Fonte: Kelly Lima, “O Estado de S. Paulo”/Jornal

Voltar