Frota de GNV cresce 5% em 2008 – e em 2009?

No final do ano passado, a frota brasileira de veículos convertidos para GNV totalizava 1.588.331 veículos, um crescimento de 5,05% sobre o resultado do ano anterior. Isso, num ano extremamente conturbado, com aumentos de preços do gás natural, restrições de oferta, ameaças de corte de fornecimento etc. Considerando que, dentre as diversas estimativas disponíveis, o PIB (Produto Interno Bruto) do país, em 2008, deve oscilar entre 4,0% a 5,0%, o resultado obtido pelo setor de GNV pode ser considerado satisfatório.

O crescimento alcançado foi em puxado pelo mercado de Santa Catarina, com
8,06%, seguido do Rio de Janeiro, que apresentou 7,76% de progresso. A frota de veículos convertidos para gás natural, do Rio de Janeiro, representa hoje 43% da frota nacional convertida. O consumo de gás natural na área veicular somou em dezembro 6,438 milhões de metros cúbicos por dia, representando 14% do total de gás ofertado ao mercado.


O número de postos de abastecimento no final do ano atingiu 1649 unidades. Os maiores consumidores de gás natural do Brasil continuam sendo a área industrial, seguida do setor de geração elétrica.

Perspectivas para 2009

Tudo indica que o ano de 2009 será um ano diferente, comparativamente a 2008. Mesmo os fundamentos econômicos sendo mantidos, os riscos de deterioração da balança comercial do paíssão grandes face à difícil conjuntura mundial. Isso resultará em postergação de projetos e consequentemente menores demandas de matérias primas e energia. Os cancelamentos e adiamentos de projetos já anunciados, demonstram isso. A taxa de juros prevista para 2009 é estimada como podendo chegar a 10,75%, portanto abaixo da taxa atual de 12,75%. Entretanto, há possibilidade de subir no períodoaté 14% ao ano.


Relativamente à oferta de gás natural para o setor veicular, as perspectivas são boas, considerando o atual nível de água nos reservatórios das principais hidroelétricas do país, e a possível retração na demanda industrial e consequentemente de energia elétrica, causada pela conjuntura mundial, como citado anteriormente. Por sua vez, existe também a previsão da entrada em funcionamento, na Baía de Guanabara, da primeira unidade de GNL – Gás Natural Liquefeito, na região Sudeste, com capacidade de aumentar a oferta desse energético, entre junho e setembro de 2009.


Embora a produção dos demais combustíveis automotivos deva ser ajustada para o novo cenário, ainda incerto, poderão ocorrer no período oscilações de preço para cima e para baixo, maiores ou menores em cada estado, em função dessa condição conjuntural.

Fonte: Fonte: GNV News/IBP, ano 4, nº 42.

Voltar