Para diminuir a poluição é preciso fazer manutenção



fonte: Webtranspo

No primeiro semestre deste ano, 1,7 mil ônibus urbanos, rodoviários e metropolitanos no Estado de São Paulo passaram pela vistoria do “Programa Despoluir”, administrado pelo Setpesp (Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado de São Paulo). Desde total, de acordo com a entidade, 76% obtiveram um índice satisfatório de emissão de poluentes.

Segundo João Carlos Sanches, consultor do projeto, o mercado brasileiro rodoviário de passageiros ainda tem uma grande desvantagem em relação a alguns países. “O diesel utilizado no País ainda é muito poluente, mesmo com os recentes projetos para diminuir a poluição com um combustível mais limpo que ainda não chegou ao alcance de todos”, pondera.

O executivo aponta que outro fator preocupante é a idade média da frota brasileira. Segundo ele, o ideal seria circular apenas ônibus com aproximadamente cinco anos de operação. No entanto, o que se vê são veículos com dez anos de atuação, ou até mais, na prestação de serviços.

Porém, Sanches destaca que um ponto que surpreendeu desde o princípio da iniciativa, abril do ano passado, foi que muitas vezes não foram os ônibus mais antigos que apontaram os maiores índices de poluição.

“Tudo depende da cultura de empresa. Não adianta nada renovar a frota. Se a companhia não realizar manutenções preventivas, estes veículos não apresentarão resultados e desempenhos satisfatórios”, aponta o consultor.

Conforme informações divulgadas pela entidade, as empresas que não foram aprovadas na avaliação têm até seis meses para se adequar e realizar a manutenção para que seus veículos atendam à legislação brasileira de emissões.

Aceitação

De acordo com o Setpesp, desde o ano passado 3,7 mil veículos foram analisados. A estimativa é que 15 mil ônibus sejam inspecionados nos próximos meses. “Muitas empresas têm nos procurado para fazermos as avaliações em seus veículos. Não impomos a vistoria, é algo que as companhias têm se conscientizado e aderido”, argumenta.

Além das vistorias, o sindicato realiza palestras e orientações aos mecânicos, motoristas e executivos sobre a necessidade de uma mudança de postura em relação ao uso racional de combustível e preservação do meio ambiente.

Para a entidade, ao participar da iniciativa a companhia tende apenas a ganhar, pois, ao controlar a emissão de poluentes, é possível obter uma significativa economia de combustível e uma melhoria de sua imagem institucional, em decorrência da responsabilidade socioambiental. (Webtranspo)

Voltar