GE pretende levar a outros países térmica a etanol

Os testes da primeira usina termelétrica a etanol do mundo, feitos pela Petrobras e pela General Eletric, mostraram que a mudança de combustível não reduziu a potência das turbinas da unidade e as emissões de dióxido de carbono ficaram abaixo das registradas pelo gás natural, além de ter havido um uso bem menor de água.

Funcionando há mais de 170 horas sem problemas e com meta de atingir mil horas de testes em operação comercial, a térmica da Petrobras em Juiz de Fora (MG), antes a gás natural, e com capacidade instalada de 87 megawatts, poderá servir de modelo para clientes das duas empresas pelo mundo.

"A intenção é fazer o teste de mil horas e ter isso muito bem documentado, e a partir daí fazer esse projeto e replicar isso em outros lugares do mundo", explicou o diretor de produtos da GE para a América Latina, John Ingham. "Em termos de resultado, os primeiros que a gente viu são bastante positivos. A máquina não perde potência e as emissões ficaram dentro do valor que a gente esperava, mas queremos operar bastante tempo para ver se não tem nenhum tipo de deterioração da máquina."


A termelétrica, que foi inaugurada oficialmente em 19 de janeiro, usa turbinas da GE derivadas das utilizadas no Boeing 747, que consumiam combustíveis líquidos antes de serem convertidas para gás natural. Ingham observou, porém, que o custo do álcool ainda é mais alto do que o do gás e o consumo da unidade é elevado. São 18 mil litros por uma hora de funcionamento.



Fonte: “O Estado de S.Paulo

Voltar