Controle de CO2 será mais rigoroso



Webtranspo

A Cetesb investirá R$ 5 milhões nos próximos cinco anos para ampliar o combate à fumaça de ônibus e caminhões no estado de São Paulo. A companhia formalizará um programa de fiscalização com unidades móveis equipadas com opacímetros, que permitirão aferir com precisão as emissões de fumaça preta.

O equipamento avalia a densidade da fumaça, coletada por meio de uma sonda introduzida no tubo de escapamento, em um compartimento fechado. A utilização desta tecnologia só se tornou possível com a promulgação do decreto nº 54.487, de 26 de junho de 2009.

Com o opacímetro, que faz o teste com os veículos estacionados, pode-se detectar emissões acima do padrão legal, mesmo que quase invisível a olho nu. Para ampliar os efeitos positivos dessa nova tecnologia, a Cetesb está estabelecendo parcerias com entidades do setor de transportes, habilitando-as a realizarem medições das emissões.

A expectativa dos técnicos da Cetesb é de que a adoção dos opacímetros na inspeção anual ou nas fiscalizações de rotina contribua para baixar os índices atuais médios de emissão de material particulado dos veículos diesel em até 20%.

A multa, atualmente, é de 60 Unidades Fiscais do Estado de São Paulo (Ufesp), correspondendo a R$ 985,20. Se for multado, o motorista poderá fazer a devida regulagem do motor e, em seguida, submetê-lo a teste com o opacímetro em centros de serviços e oficinas vinculadas a entidades automotivas.

Com essas ações espera-se a melhoria da qualidade do ar, pois, segundo estimativas da própria Cetesb, 30% da poluição por material particulado na Região Metropolitana de São Paulo é proveniente dos veículos diesel, equivalente a 14,3 mil toneladas por ano. (Webtranspo)

Voltar