Inspeção amplia serviços de oficinas do Grande ABC



Diário do Grande ABC

Oficinas mecânicas do Grande ABC observam crescimento na procura por serviços relacionados à inspeção veicular da cidade de São Paulo. O movimento aumentou, em alguns casos, cerca de 25%, neste ano.

Com receio de não passar na checagem, o que pode gerar o bloqueio do licenciamento, muitos proprietários de veículos com placa da Capital passaram a procurar mecânicas para verificar como está o nível de emissão de poluentes, principal foco do programa.

E neste ano a iniciativa da prefeitura paulistana foi ampliada para todos os automóveis com placa do município, com exceção dos fabricados em 2010. No ano passado, o programa era obrigatório apenas para modelos produzidos entre 2003 a 2008. Com isso, o número de carros que tinham de ser inspecionado subiu de 3,5 milhões, em 2009, para 6,5 milhões.

O gerente de oficina localizada no bairro Taboão, em São Bernardo, Alexsandro Santos Rocha observou o aumento expressivo na demanda. Ele cita que a busca pelo diagnóstico do sistema de injeção eletrônica cresceu 70%. Na média, o movimento da loja, que era de 300 carros por mês no ano passado, subiu para 380, ou seja, alta de 26%.

Rocha cita ainda que, para carros novos, com até 30 mil quilômetros rodados, o pacote incluindo troca de jogo de velas, filtros e a regulagem eletrônica do motor sai por cerca de R$ 250. Já automóveis com mais de 100 mil quilômetros de uso podem ter de substituir também o catalisador, e com isso, o custo supera os R$ 600.

O empresário Gerson de Souza Lima, que tem estabelecimento no bairro Paulicéia, no mesmo município, cita, por sua vez, que sua loja tem cerca de 40% dos clientes vindos de São Paulo e a procura por parte desse público cresceu cerca de 10%. "Como estou na divisa (com a Capital), tenho muitos contatos de fora da região". Em média, ele recebe atualmente 80 veículos para reparo por mês.

Especializado em jipes, José Luís da Silva, que é dono de oficina na Vila Alzira, em Santo André, afirma que muita gente recorre a ele em busca de informação. "Como somos especializados em 4x4 (tração nas quatro rodas) como o Willys, que não tem catalisador, as pessoas vêm se informar (sobre os serviços para passar na inspeção)", afirma. De 40 a 50 carros que atende mensalmente, ele calcula que 10% têm placa paulistana.

Mecânicas se preparam para inspeção na região do Grande ABC

Empresários do ramo de reparo automotivo do Grande ABC que não têm muitos clientes provenientes da Capital também esperam, em breve, salto em suas vendas de serviços ligados à inspeção veicular. Muitos deles se preparam para isso, participando de cursos e investindo na compra de equipamentos.

Isso porque a região está próxima de aderir ao programa paulistano. A primeira cidade do Grande ABC que terá a inspeção obrigatória será São Bernardo, a partir de 2011.

Neste mês, a Prefeitura iniciou a checagem (por enquanto, voluntária e gratuita) de emissão de poluentes para veículos movidos a diesel e, a partir de agosto, os carros flex poderão ser inspecionados, também voluntariamente e sem custos. A frota registrada na cidade é de 405 mil veículos.

Com a expectativa de crescimento na demanda, Ivan Holanda Moura, sócio de estabelecimento localizado no Centro de São Bernardo, fez curso no Sindirepa (Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios) para se interar do que é exigido nos testes.

"Vamos comprar o aparelho para medição dos gases. Estamos fazendo pesquisa de preços", afirma. Ele acrescenta que já possui outro equipamento muito utilizado pelas oficinas em serviços “pré-inspeção”, um scanner que faz o mapeamento da injeção eletrônica dos carros.

Outras cidades

As outras cidades do Grande ABC também planejam a implementação do teste obrigatório nos carros. O programa é discutido no Consórcio Intermunicipal. A região toda tem frota de mais de 1,3 milhão de veículos.

O empresário José Luís da Silva, que tem oficina localizada na Vila Alzira, em Santo André, aposta na chegada da inspeção para que suas vendas de serviços de manutenção e prevenção dos veículos ganhem impulso. (Diário do Grande ABC/Leone Farias)
Funcionários da GM em São José dos Campos

Voltar