Pesquisa aponta irregularidades em veículos

Um dado preocupante foi revelado por uma pesquisa realizada, no mês de maio, em seis postos de combustíveis da Grande Vitória. Calcula-se que cerca de 10.900 veículos movidos a Gás Natural Veicular (GNV) estejam circulando irregularmente, sem a inspeção do Inmetro, sem a alteração do combustível no documento do veículo - o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) -, e também sem o Certificado de Segurança Veicular (CSV) emitido pelo Denatran (Departamento Nacional de Trânsito).

Esse número representa cerca de 31% de um total de 35 mil carros que estão registrados no Detran/ES como veículo movido a GNV. A pesquisa foi feita por amostragem pela Associação Nacional dos Organismos de Inspeção Veicular/Seccional Espírito Santo (Angis), com base nas observações em carros que se abasteceram de gás natural nos postos nos dias 6 e 9 de maio. Desse total, 31% não apresentaram os registros obrigatórios para esse tipo de combustível.

Projetando para o total da frota movida a gás no Estado, chegou-se à estimativa de 10.900 carros irregulares, o que equivale a 31%. Segundo a Associação, o fato de os veículos não estarem certificados e licenciados, conforme determina a legislação, é um indício de que a conversão para o gás natural veicular desses automóveis pode estar sendo feita em locais clandestinos e sem obedecer às normas técnicas especificadas pelo Inmetro.

Isso representa um risco para a segurança dos motoristas, pedestres e frentistas no ato do abastecimento. Além da possibilidade de acidentes, o motorista irregular também pode ser multado pelos agentes de trânsito, perder pontos na CNH e ter o veículo apreendido. Em julho, começa o período de renovação anual do licenciamento de veículos, e o CSV com validade para 2011 será exigido para esses carros.

Por ser um combustível mais barato que garante uma economia média em relação ao álcool de 58% e à gasolina de 51%, além de melhorar o desempenho do motor, o Gás Natural Veicular vem sendo adotado de maneira crescente pelos motoristas. Porém, para isso, é obrigatória a conversão do veículo em locais credenciados e capacitados para garantir a segurança dos equipamentos instalados. Considerado mais vantajoso que o uso do combustível original dos automóveis, o GNV é mais econômico e ainda tem o benefício de aumentar a eficiência dos carros.

Quem converteu o carro para Gás Natural Veicular tem que ficar atento com a documentação para renovar o certificado de Registro e Licenciamento de Veículo. Além de estarem com o IPVA e o licenciamento pagos, os proprietários dos veículos têm que informar a opção pelo GNV como combustível e estar com a inspeção veicular atualizada. Para fazer a inspeção veicular, que é obrigatória anualmente conforme resolução do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), é preciso ir a um organismo autorizado pelo Inmetro e levar o documento do veículo, a carteira de habilitação do condutor, além dos documentos dos equipamentos da conversão.

Voltar