Escapamento em más condições reprova veículos na pré-inspeção visual da Controlar

Combustível adulterado, trajetos curtos e lombadas podem comprometer a vida útil do escapamento. Por isso, revisões periódicas no sistema de exaustão são importantes para garantir seu correto funcionamento.

Alterações, avarias ou estado avançado de deterioração no escapamento, parte integrante do sistema de exaustão, formado pelo tubo do motor, silencioso intermediário e silencioso traseiro, podem reprovar veículos ao realizar a Inspeção Ambiental Veicular. Dados do Balanço do Relatório Anual 2010 da Inspeção Ambiental Veicular da cidade de São Paulo apontaram que 21% dos veículos foram rejeitados durante a pré-inspeção visual da Controlar. Trata-se da primeira avaliação feita no veículo, antes do mesmo ser submetido à medição de emissões de gases poluentes. “A má qualidade do combustível é um grande vilão do escapamento”, afirmou o engenheiro Henry Grosskopf, especialista em sistemas de exaustão e gerente de produtos da maior fábrica de escapamentos da América Latina (Tuper Escapamentos e Catalisadores).

Segundo uma pesquisa da Cinau – Central de Inteligência Automotiva, do Grupo Oficina Brasil e do portal i-Carros, realizada com 2 mil reparadores e 2,5 milhões de motoristas de carros, o combustível adulterado é um problema que afeta 40% dos donos de veículos.

Outros fatores que, frequentemente, deterioram o escapamento são os buracos, lombadas e ondulações no asfalto, que podem fazer a peça se soltar, amassar ou até furar. “Trajetos curtos também são prejudiciais já que a água acaba acumulando na tubulação e nos silenciosos e o sistema não consegue aquecer a temperatura adequada”, comentou.

Para manter o sistema de exaustão em boas condições, o engenheiro recomenda fazer revisões periódicas em uma oficina de confiança, usar combustível e lubrificante de boa qualidade e seguir as orientações do manual do fabricante.

“É preciso ficar atento aos sinais que indicam que a peça não está funcionando adequadamente, como ruído elevado ao acelerar o veículo”, advertiu o gerente de Engenharia de Produtos.

A troca dos componentes deve ser feita com modelos compatíveis aos originais para manter os níveis de emissões e ruídos em conformidade com a regulamentação.

Sobre a Tuper Escapamentos e Catalisadores – Maior fabricante de escapamentos da América Latina, líder de mercado, a Tuper há 40 anos produz escapamentos, catalisadores e ponteiras para todos os modelos de automóveis, nacionais e importados, com volume anual que chega a quase 4 milhões peças, somente para o mercado de reposição.

Primeira no Brasil a produzir um sistema completo de exaustão (tubo do motor, catalisador, silencioso intermediário, silencioso traseiro). A Tuper é a única fabricante que atende simultaneamente o mercado de reposição e as montadoras e possui todas as certificações ISO.

A Tuper investe em desenvolvimento e tecnologia para atender projetos de várias marcas. Com duas plantas industriais em São Bento do Sul e Xanxerê, Santa Catarina, conta ainda com uma rede própria de distribuição. Os centros de distribuição (CD´s) estão localizados em regiões estratégicas do País para atender o mercado com grande agilidade, possibilitando que nestes estados os produtos cheguem aos clientes em 24 horas.

Os escapamentos e catalisadores da Tuper seguem o padrão e as características técnicas definidas pelas montadoras, o que garante total excelência em seu funcionamento e em sua adequação ao veículo, atuando como uma peça original. Além disso, todos os catalisadores produzidos são homologados pelo INMETRO.

Fonte: http://www.segs.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=68168:-escapamento-em-mas-condicoes-reprova-veiculos-na-pre-inspecao-visual-da-controlar&catid=71:categoria-veiculos&Itemid=367

Voltar