Conversão para GNV deve ser feita por profissional

Procedimento deve obedecer a padrões que vão oferecer garantias e segurança aos usuários

Novas normas do Inmetro prevêem que os suportes do cilindro sejam dourados e possuem selo do Inmetro. A opção por empresa especializada garante o cumprimento de leis no processo de conversão.
Uma série de ocorrências relacionadas à vazamento de veículos abastecidos por GNV e que foram registradas pelo Corpo de Bombeiros de Teresópolis, chamam atenção para a importância da escolha de um serviço autorizado para a conversão do sistema. São profissionais que, além de observar normas técnicas na execução do serviço e na escolha dos componentes utilizados, passam ainda por constante treinamento para atualização. Segundo o Tenente-coronel José Ricardo Leal, comandante do 16º GBM, a escolha de uma empresa qualificada é fator determinante para a segurança do usuário e seus familiares.
Segundo Bruno Lourenço, diretor da 2001, qualquer manutenção feita no carro abastecido por GNV deve também ser acompanhada pela checagem dos equipamentos do kit gás.
Entre as diversas oficinas que oferecem a instalação do kit GNV nos carros, a 2001 Veículos, que fica na Rua Tenente Luiz Meireles, é uma das que aparecem como qualificadas para executar o procedimento. Segundo Bruno Lourenço, diretor da empresa, a escolha por uma empresa qualificada é semelhante à opção pelo seu mecânico: tem que ser uma relação de confiança. “Sempre recomendamos a opção por um profissional que saiba o que está fazendo, que tenha passado por cursos e formação específica. É importante passar segurança para o cliente e antecipar possíveis problemas. As vezes, numa checagem de vazamento, conseguimos detectar problemas no abastecimento, não só de GNV, mas de etanol e gasolina”, avalia.
Consultor técnico e com formação em mecatrônica, Bruno explica que até as manutenções do dia a dia do veículo convertido devem contar também com uma checagem do sistema. “É sempre importante pedir para que seja feita uma verificação do gás, se há possíveis problemas de vazamento. O laudo que é emitido na conversão traz várias informações importantes, como a data da vistoria seguinte e a requalificação do cilindro, que é feita a cada cinco anos. Nessa rotina, sempre vale a pena substituir a válvula do cilindro, já que o sistema será desmontado para passar pelos testes”.
Postado em 04 março 2015 – Net Diário

Voltar