São Paulo tem recorde de conversão de veículos para o GNV

Levantamento da Comgás aponta 320 conversões para o GNV, melhor resultado em quatro anos no mês de outubro

Depois de alta no preço da gasolina e do etanol, GNV ganha ainda mais competitividade nos municípios da área de concessão da Comgás - economia é de 50% na relação custo por quilômetro rodado

GNV ressurge como real opção de economia num momento em que todos buscam reduzir custos, diz diretor da Comgás

São Paulo, 11 de novembro de 2015 - A Companhia de Gás de São Paulo (Comgás) registrou no mês de outubro um total de 320 conversões de veículos para o Gás Natural Veicular (GNV), melhor resultado desse mês nos últimos quatros anos. Na comparação com setembro, o crescimento é de 72%. Do total de conversões em outubro, 88% aconteceram em carros de pessoas físicas ou em frotas. O levantamento considera os números da área de concessão da Comgás - municípios da Região Metropolitana de São Paulo, Região Administrativa de Campinas, Baixada Santista e Vale do Paraíba.

O crescimento do número de conversões coincide com o reajuste de preços da gasolina e do etanol no início de outubro, reflexo do reajuste de 6% do preço da gasolina nas refinarias. Na segunda quadrissemana de outubro houve uma alta de 3,12% no preço da gasolina e de 9,87% no do etanol, de acordo com pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), considerando o período de 30 dias concluídos no dia 15 desse mês. O etanol, em 12 meses, na comparação com outubro de 2014, sofreu alta de 21,9%, de acordo com levantamento da Comgás.

Na comparação do custo por quilômetro rodado, o GNV ficou ainda mais competitivo. De acordo com estudo divulgado em outubro pela Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), o GNV chega a ser 50% mais econômico ante gasolina e etanol nesse critério em São Paulo. Para quem roda mensalmente 2.500 km, a economia chega a ser de R$ 396 (ante gasolina) e R$ 376 (ante etanol). O estudo utiliza como referência o desempenho de consumo declarado no manual do Fiat Siena - que percorre em média 7,5 km por litro com etanol, 10,7 km com gasolina e até 13,2 km por metro cúbico de GNV, e a tabela de preços divulgados pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

Incentivo para o GNV

A Comgás vem estimulando a conversão para o GNV. No dia 03 de outubro, a Companhia lançou uma campanha que oferece até R$ 900 de bônus para taxistas que converterem seus veículos. O bônus é concedido por meio de cartão magnético Vale Card para o pagamento de despesas no abastecimento de GNV e pode ser usado por até um ano após a conversão. A campanha é válida em toda a área de concessão da Comgás até 26 de fevereiro de 2016.

De acordo com o diretor de Marketing, Planejamento e Suprimento da Comgás, Sergio Luiz da Silva, o GNV ressurge como uma real opção para motoristas e empresas num momento em que todos buscam reduzir custos. "A economia do GNV sempre ficou acima dos 40%, desde seu lançamento, em 2000. Justamente por proporcionar um rendimento maior que o dos combustíveis líquidos, o GNV é uma excelente alternativa para táxis, empresas de autoescola, frotas ou para qualquer pessoa que rode com intensidade. Para quem roda mais de 2.500 km por mês, por exemplo, o investimento na conversão é integralmente recuperado em menos de um ano."

"Os kits de GNV acompanharam a evolução da indústria automotiva. Hoje, os kits de quinta geração garantem segurança e qualidade eletrônica, mantendo ótimo rendimento e confiabilidade. Não se usa mais os kits antigos de terceira geração para veículos carburados, que exigiam mais cuidados com a manutenção. Agora, com os kits de quinta geração, basta seguir a manutenção prevista no manual do veículo. A realidade é outra e os interessados devem buscar informações sobre todas as vantagens. Além do mais, o GNV é um dos combustíveis considerados limpos, emitindo, em média, 15% menos CO2 em relação ao etanol e 20% a menos na comparação com a gasolina", completa Silva.

As vantagens econômicas e ambientais do GNV são alguns dos motivos que levaram a Algar Telecom a converter, recentemente, 25 veículos de sua base em São Paulo para o GNV.

"Para tomar a decisão, a Algar fez testes no início do ano que apontaram uma economia de 40%, em média, no custo do combustível por quilômetro rodado, na comparação com o etanol e a gasolina, com ganhos que podem chegar a 50% em alguns casos. Se a experiência for positiva, a empresa com sede em Uberlândia pretende avaliar a possibilidade de converter mais carros de sua frota - hoje com mais de 900 veículos", explica o gerente de Marketing Industrial e Transporte da Comgás, Ricardo Vallejo.

Segundo ele, a Comgás vem negociando com outras empresas de grande porte a conversão das respectivas frotas. Entre elas, uma gigante do setor de bebidas, uma concessionária de rodovias e uma multinacional de alimentos.

Sete coisas que você precisa saber sobre o GNV

1 - ECONOMIA

O GNV é comercializado em metros cúbicos enquanto o etanol e a gasolina são precificados em litros. Por isso, o que conta não é o preço da bomba, mas o rendimento. E o GNV proporciona um rendimento superior. Na comparação com o preço por quilômetro rodado, a economia do GNV fica historicamente acima dos 40%, chegando atualmente a 50%.
2 - INVESTIMENTO
O custo de uma conversão pode variar conforme a oficina. Mas pode sair a partir de R$ 3.500,00 - valor que pode ser financiado em algumas instaladoras. O investimento é amortizado pela economia mensal. Quem roda aproximadamente 2.500 km/mês, por exemplo, pode recuperar o valor em menos de um ano e usufruir integralmente da economia nos anos seguintes.
3 - PERFORMANCE
Com o Kit GNV de Geração 5, totalmente eletrônico, a performance do carro praticamente não é alterada - a perda de potência é de apenas 3%, algo imperceptível até para um piloto profissional. Não há prejuízos para o motor.
4 - MANUTENÇÃO
O Kit GNV de Geração 5 eliminou problemas como o ressecamento de mangueiras ou a necessidade de troca constante de velas. A partida do veículo é realizada pelo combustível original. Após o motor atingir a temperatura ideal, que gira em torno de 90ºC, o gás entra em operação. A manutenção segue o estabelecido no manual do veículo, sem necessidade de manutenção adicional.
5 - CONVERSÃO
É fundamental fazer a conversão em uma oficina certificada pelo Inmetro. Existe um selo criado em 2007, o chamado Programa 10, para certificar que as instaladoras de GNV atendem aos critérios de segurança, qualidade e padronização necessários para a instalação do sistema. A certificação é realizada pelo Centro de Tecnologias do Gás, consórcio entre o Senai e a Petrobras.
6 - SEGURANÇA
O combustível é muito seguro. Menos inflamável que a gasolina ou o etanol, o GNV é mais leve que o ar e se dissipa rapidamente em caso de vazamento. Os equipamentos do Kit GNV Geração 5 seguem padrões internacionais de qualidade e segurança. O cilindro de GNV é projetado com o mesmo material e normas, por exemplo, de um cilindro de oxigênio hospitalar.
7 - REDE DE POSTOS
A Comgás tem uma de rede de aproximadamente 300 postos com a opção do GNV em sua área de concessão (Grande São Paulo, Campinas e região, Vale do Paraíba e Baixada Santista). Somente no município de São Paulo são 150 postos. Existe um aplicativo para celular (IOS e Android) que permite encontrar o posto mais próximo de GNV, bem como calcular a economia em relação a outros combustíveis.
Fonte/Autor.: Loures Consultoria - Segs Veículos

Voltar