Copergás quer dobrar Frota Movida a GNV - Bônus de R$ 1 mil para quem adquirir o Kit

A Copergás vai deflagrar uma campanha massiva para incentivar o uso do gás natural veicular (GNV) em Pernambuco. A partir de janeiro de 2016, o usuário de carro de passeio receberá um bônus no valor de R$ 1 mil para adquirir o kit de conversão que permite o uso do GNV como alternativa à gasolina e ao etanol. Além do apelo ambiental, a estatal de gás quer convencer o consumidor pelo bolso, mostrando que o combustível natural é mais barato e proporciona melhor rendimento do motor, rodando até 15 quilômetros com 1 metro cúbico de gás. Hoje, apenas 40 mil veículos rodam com o GNV no estado, número considerado irrisório diante da frota de 722 mil carros matriculados na área metropolitana. A meta da Copergás é dobrar o número de clientes de gás veicular.

De acordo com o diretor-presidente da Copergás, Décio Padilha, a proposta de bonificação do kit de GNV para veículos de passeio faz parte da nova política comercial da empresa, que deverá ser aprovada até dezembro. Para ser implementada precisa de algumas providências operacionais. Entre elas, a ampliação do número de empresas credenciadas que fazem a conversão do motor do carro para o uso do gás veicular, além de maior capilaridade na rede de concessionárias de veículos. “Além de ser um combustível limpo e não-poluente, o gás veicular tem a vantagem de ser mais barato e não está sujeito à adulteração e à fraude”, pontua.

A bonificação para a conversão do motor para gás veicular existe para taxistas e frotistas, mas agora a Copergás quer estendê-la para pessoa física e carro de passeio. O bônus de R$ 1 mil será concedido por cada CPF. A troca do bônus será feita no momento da aquisição do kit, cujo custo médio é de R$ 3,5 mil. Segundo Padilha, a ideia é firmar uma parceria com o Sindicombustível para melhorar os equipamentos que acondicionam o GNV nos postos revendedores de combustíveis e ampliar o número de postos que comercializam o gás veicular. A FCA (Fiat Chrysler Automóveis Brasil LTDA) também poderá ser parceira da Copergás na campanha publicitária, porque é a única fabricante de um veículo a gás, o Gran Siena.

Residencial
Outra estratégia da Copergás para ganhar mercado e aumentar o faturamento é ampliar a rede de distribuição e o fornecimento de gás para o uso residencial, hoje presente em 18 mil apartamentos na área metropolitana do Recife. A meta da estatal é atingir o número de 40 mil clientes residenciais de gás natural até 2018, expandindo a área de fornecimento do produto para São Lourenço, Paulista, Abreu e Lima, Igarassu e Jaboatão. O investimento previsto para ampliar o segmento residencial é de R$ 10 milhões em 2016 e de R$ 80 milhões em cinco anos.

Investimentos para cinco anos
O plano de investimentos da Copergás para os próximos cinco anos prevê recursos da ordem da R$ 245 milhões. A verba será aplicada nas obras de ampliação das redes de distribuição com foco na interiorização do fornecimento de gás natural, nos projetos de cogeração de energia e na construção de minicentrais de gás natural liquefeito (GNL). Uma das obras em execução é o gasoduto que levará o gás de Caruaru para Belo Jardim, no valor de R$ 60 milhões. A expectativa é que o fornecimento de gás entre em operação a partir de agosto de 2016.

Para incrementar os investimentos, a companhia costura um empréstimo no valor de R$ 50 milhões junto ao Banco do Nordeste (BN),cuja operação deverá ser aprovada até o dia 18 de dezembro. Segundo Décio Padilha, a estatal aguarda o decreto presidencial que permitirá às empresas de economia-mista terem acesso a uma linha de crédito do BN com custos mais baixos. Pelas regras em vigor, as empresas com este perfil podem acessar o FNE, cujos juros são de 9,5% e exige a carta de fiança de 3,5% do valor do empréstimo. A Copergás pleiteia o acesso à linha de crédito do FDNE com juros de 7,5% ao ano e sem fiador.

“A crise é uma oportunidade para a Copergás acelerar os investimentos porque é uma empresa que dá lucros, gera dividendos e tem nível zero de endividamento zero”, assinala Padilha. Os números da empresa confirmam a situação favorável. A estatal pernambucana movimenta 5 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural. Só perde, no Nordeste em consumo de gás natural, para a Bahia. Entre os clientes potenciais estão as grandes indústrias das áreas química e metal-mecânica, além da termelétrica Suape e da Refinaria Abreu e Lima. O faturamento anual da empresa é superior a R$ 1 bilhão e os dividendos pagos atingem a cifra de R$ 20 milhões por ano.
Fonte: Diário de Pernanbuco
Por: Rosa Falcão

Voltar