Álcool fica 1,07% mais barato nas bombas

São Paulo - Com exceção do GNV (Gás Natural Veicular), os combustíveis ficaram mais baratos nas bombas na última semana, segundo levantamento da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). A maior queda foi álcool. O preço médio do combustível caiu 1,07% entre os dias 22 e 28 de julho, para R$ 1,382, ante R$ 1,397 na semana anterior.

Roraima é o Estado onde o consumidor paga mais caro pelo litro do álcool, em média R$ 2,066, valor pouco mais baixo que o registrado na semana imediatamente anterior (R$ 2,075). São Paulo se mantém como o Estado onde o álcool está mais barato: o litro sai por R$ 1,176, em média, contra R$ 1,197 anotado uma semana antes, uma queda de 1,75%. O preço da gasolina apresentou uma nova queda de 0,24%, segundo indica a ANP. O litro saiu de R$ 2,496 e caiu a R$ 2,49 na última semana.

O Mato Grosso é o Estado onde o combustível custa mais caro para o consumidor, chegando a R$ 2,92 por litro (mesmo preço da semana anterior). Já a gasolina mais barata é vendida no Amapá, onde o preço médio do litro atingiu R$ 2,219. Para os donos de carros flex, vale abastecer com álcool quando o litro do combustível custar até 70% do litro da gasolina. O GNV (gás natural veicular) registrou alta de 0,3% (de R$ 1,323 para R$ 1,327, por metro cúbico), o diesel teve leve queda de 0,05% (R$ 1,855 para R$ 1,854 o litro) e o botijão de gás anotou baixa de 0,09% (de R$ 33,06 para R$ 33,03, o recipiente com 13 quilos).

Apesar da queda do preço nas bombas, o preço médio do litro do álcool hidratado nas usinas paulistas aumentou 1,22%, e o do anidro teve alta de 0,86% na última semana, em comparação com a anterior, segundo dados do Cepea/Esalq (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz). Na semana passada o litro do hidratado foi cotado, em média, a R$ 0,59226, contra R$ 0,58514 na medição anterior --os preços são sem impostos. Já o álcool anidro foi comercializado, em média, a R$ 0,67492 o litro, ante R$ 0,66919.

fonte
http://noticias.correioweb.com.br/materias.php?id=2714748&sub=Economia

Voltar