Conversões de veículos para GNV batem novo recorde em abril, aponta Comgás


Com a alta de preços dos combustíveis líquidos, o interesse pelo Gás Natural Veicular (GNV) vem aumentando mês a mês. Em abril, a Companhia de Gás de São Paulo (Comgás) registrou novo recorde do número de conversões de veículos para GNV, com 711 conversões, maior número na série histórica desde 2011.


O recorde anterior (675 conversões) havia sido registrado em março. No primeiro quadrimestre de 2016 foram registradas 2.340 conversões contra apenas 1.137 no mesmo período de 2015, um crescimento de 105%.

Um dos atrativos é a economia proporcionada a quem usa o GNV, que chega a 54% frente à gasolina e de 55% frente ao etanol. O custo médio do quilômetro rodado com GNV é de R$ 0,16, enquanto com etanol é de R$ 0,28 e com a gasolina, de R$ 0,36, de acordo com preços registrados no mês de abril pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

"Na prática, com R$ 30, quem roda opta pelo GNV consegue percorrer 184 km, enquanto com gasolina esse mesmo valor percorrer 84 km e com etanol apenas 76 km. Essa é a conta que muitos motoristas vêm fazendo, que vem descobrindo que o GNV proporciona um rendimento muito maior por quilômetro rodado", explica o gerente de Marketing Industrial e de Transportes da Comgás, Ricardo Vallejo.

A procura, antes dominada por taxistas e frotistas, agora divide espaço com consumidores particulares que rodam aproximadamente 50 kms por dia.

"O GNV também é um bom investimento para quem roda cerca de 1.500 km/mês. Essa quilometragem equivale basicamente ao trajeto de ir para o trabalho, buscar os filhos na escola e ir ao supermercado, ou seja, tarefas diárias", explica Vallejo.

Historicamente, o GNV sempre registrou pelo menos 40% de economia em relação aos demais combustíveis líquidos. "Qualquer pessoa que converter o seu carro só vai deixar de ter economia com o GNV se trocar de carro e não transferir o equipamento para o novo veículo, pois ele sempre garantirá uma economia considerável mensalmente", completa Vallejo.

(Redação - Agência IN - Investimentos e Notícias)
Publicado por Nicole Ongaratto
Maio,16,2016.

Voltar