Estudo mostra Economia Superior a 50% com o uso do GNV - Gás Natural Veicular

O Gás Natural Veicular (GNV) vem se mostrando uma excelente alternativa para aqueles motoristas que desejam economizar na hora de abastecer em Minas Gerais. E, na semana que passou, um estudo realizado em 16 estados pela Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), comprovou que o uso do GNV pode gerar uma economia de 39% a 62% em relação ao etanol. Já na comparação com a gasolina, o gás natural veicular é entre 43% e 58% mais vantajoso.

Em Minas Gerais, os estudos apontam que o GNV gera uma economia igual ou superior a 50% em relação ao etanol e de 51% se comparado com a gasolina. O coordenador de GNV da Gasmig, Welder Souza, destaca as vantagens para quem usa do GNV.

“Quando comparamos o valor do quilômetro rodado com GNV com o valor do quilômetro rodado com a gasolina ou o etanol, conseguimos alcançar uma redução nos gastos com o abastecimento acima de 50%. Isso porque o GNV rende até 30% mais que a gasolina e 65% mais que o etanol”, explica Welder.

O veículo convertido passa a ser bicombustível, podendo utilizar GNV e/ou o combustível original do veículo (etanol, gasolina ou flex). Souza ainda ressalta que há ganho considerável no percentual de economia, principalmente, para os motoristas que rodam acima de 30 km/dia, a exemplo dos taxistas, frotistas ou quaisquer outros profissionais que utilizam o carro como ferramenta de trabalho e rodam muito todos os dias.

Nos demais estados, como, Pernambuco (54%), São Paulo (53%), Espírito Santo (52%), Santa Catarina (51%) e o Rio de Janeiro, a redução chega a 58% se comparado à gasolina. Entre os estados que apresentam significativa competitividade em relação ao etanol, estão: Rio de Janeiro, com 62%, Espírito Santo, Pernambuco e Santa Catarina também, todos com um porcentual de 60% de economia.

Na sequência aparecem Alagoas (58%), Sergipe (57%), Paraíba (56%), Rio Grande do Norte (55%), Rio Grande do Sul (55%), Ceará (54%), Bahia (53), Mato Grosso do Sul (50%) e São Paulo (50%).

Para a realização do estudo, que aconteceu na segunda quinzena de agosto, a Abegás usou o veículo Fiat Siena, que traz em seu manual de fábrica o consumo médio com os três combustíveis: 13,2 km por metro cúbico de GNV; 10,7 km/litro de gasolina; e 7,5 km/litro de etanol e teve como calculo a relação do custo por quilômetro rodado a partir do consumo médio de cada combustível com base nos preços médios apurados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) na terceira semana do mês.

Fonte: Jornal Defato Online - Minas Gerais
Publicação: 10/09/2016

Voltar