Aumenta a venda de GNV e MT Gás planeja ampliar pontos de abastecimento

A Companhia Mato-grossense de Gás (MT Gás) comemora o crescimento das vendas do gás natural veicular (GNV) neste ano de 2007, com a perspectiva de instalação, para 2008, de mais três postos de abastecimento de num raio de 200 Km em torno da região metropolitana de Cuiabá e de firmar mais contratos de fornecimento com empresas instaladas no Distrito Industrial de Cuiabá.

“Em janeiro vendíamos 300 mil metros cúbicos e atualmente estamos na casa dos 750 mil metros cúbicos, sendo que devemos fechar o ano com as vendas em torno de 850 a 900 mil metros cúbicos”, afirma Helny de Paula, presidente da MT Gás.

Segundo ele, atualmente existem três pontos de abastecimento do GNV em Cuiabá, um em Várzea Grande, com previsão de instalação, em breve, de mais um em Rondonópolis, Helny destacou que o fato mais importante deste ano foi o contrato de fornecimento para a empresa Sadia S.A. A empresa foi a primeira a adotar o gás como matriz energética no processamento e beneficiamento de carnes e aves. Ela utiliza aproximadamente 3 mil metros cúbicos de gás por dia, mas, de acordo com Helny, a meta é consumir 25 mil metros cúbicos nos próximos meses.

“Estamos trabalhando para estender o atendimento a todas as indústrias interessadas. E temos um contrato de até 500 mil metros cúbicos de gás natural por dia com a Bolívia. O suprimento está garantido com folga e não há qualquer previsão de aumento dos preços”, ressalta ele.

O presidente informou ainda que Mato Grosso recebe por mês, cerca de 550 mil metros cúbicos de gás da Bolívia, incluindo os postos e a parte destinada ao funcionamento da planta da Sadia. “Se precisamos de mais, eles nos enviam imediatamente”, frisou Helny.

VANTAGENS - Estudos técnicos indicam que a utilização do GNV representa uma a economia em relação à energia elétrica é de 50% para as empresas. Só no Distrito Industrial de Cuiabá estão instaladas e em funcionamento cerca de 110 empresas. Dessas, pelo menos 50% podem utilizar o gás. Helny salientou que o GNV é econômico se comparado a outros combustíveis, além de ser de fácil adaptação em relação às instalações existentes. Exige menor investimento em armazenamento e/ou espaço, pois não necessita de estocagem, reduz a corrosão e não causa incrustações nos equipamentos, suas instalações têm menor custo e sua queima gera uma grande quantidade de energia, elevando o rendimento energético.

Além dessas vantagens, o GNV reduz problemas de poluição aumentando o controle do meio ambiente, evitando gastos com sistemas antipoluentes e com tratamento de afluentes, entre outras.

GASODUTO – Para chegar até Mato Grosso, o gasoduto percorre 642 km partindo da Bolívia, passando por Cáceres, Poconé, Nossa Senhora do Livramento e Várzea Grande até chegar em Cuiabá. O gás alimenta a Usina Termelétrica de Cuiabá produzindo até 480 MW de energia limpa.

O presidente da MT Gás assinalou também que o Estado tem abastecimento garantido e que não há previsão de reajustes no preço do produto. Segundo ele, além do preço competitivo – atualmente o metro cúbico do gás natural está cotado em R$ 1,49 na bomba dos postos - é uma fonte energética que goza da vantagem da queima mais limpa que a dos derivados do petróleo.

“São inúmeros os ganhos econômicos obtidos pela escolha do gás natural como combustível, mas a principal vantagem é a preservação do meio ambiente. O gás natural é um combustível não-poluente e sua combustão é limpa, isenta de fuligem e outros materiais que possam prejudicar o meio ambiente”, destaca Helny.

Voltar