Táxi deve ficar mais caro

O preço da corrida de táxi deve aumentar no primeiro semestre de 2008, no Ceará. A elevação acompanha o reajuste do preço do gás natural, encaminhado pela Petrobras às distribuidoras do insumo, de 9,90%, que está sendo avaliado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Estado do Ceará (Arce). A previsão do aumento da bandeiras é do Sindicato dos Taxistas do Ceará (Sinditáxi). Segundo o presidente da entidade, Vicente de Paula Oliveira, a alta do valor do gás natural ´só prejudica a categoria´, que é composta por uma frota de mais de 4 mil carros, sendo que 79% são convertidos para gás natural veicular (GNV).

´O taxista que roda com GNV vai duas ou três vezes por dia ao posto de combustível para abastecer´, calcula. ´Nós pensamos em fazer um movimento pacífico. Em janeiro, vamos orientar os taxistas a ficar um dia inteiro sem ir ao posto. A intenção é que a Companhia de Gás do Ceará (Cegás) ou o governo reduzam o preço´.

´O valor da bandeirada em Fortaleza é de R$ 2,96 [preço inicial da corrida]. É a mais baixa do Brasil´, afirma o representante do Sinditáxi. ´Com o aumento do preço do gás natural, quem paga é o usuário de táxi´, diz Oliveira. ´Vamos ver de quanto vai ser o reajuste para o GNV e, assim, vamos preparar uma planilha para aumentar a tarifa do táxi. O último aumento da categoria foi de 10% em agosto do ano passado, enquanto o gás já subiu outras vezes depois disso´.

Com o reajuste do gás natural, que deve ser repassado para o GNV, Oliveira avalia que pode ocorrer um desestímulo em converter os veículos entre os taxistas. ´O investimento inicial para usar o GNV é muito alto, além dos aumentos do preço do insumo, o que é inviável para o taxista´, reflete. A Petrobras encaminhou aos distribuidores de gás natural do País, inclusive à Cegás, o reajuste de 9,90%, que deve ter vigência no primeiro trimestre de 2008. A companhia encaminhou estudo tarifário à Arce, que deve se pronunciar no dia 28.

GNV X ÁLCOOL E GASOLINA

Convertedores reafirmam vantagem

Apesar do aumento do preço do GNV, convertedores dizem que vantagem prevalece sobre gasolina e álcool

O aumento do preço do gás natural não deve interferir na vantagem do insumo veicular frente a outros combustíveis. A avaliação é de convertedores que atuam em Fortaleza.

O diretor técnico da Argengás, Alejandro Till, é um dos que confirmam a manutenção da economia do GNV, apesar do possível repasse do aumento. ´O GNV continuará vantajoso na comparação entre o álcool e a gasolina´, avalia. ´A tendência mundial é que a diferença entre o GNV e a gasolina seja entre 50% a 70%´.

Para ele, há também outras formas para analisar esta vantagem. ´Além da economia na bomba, o GNV oferece economia na troca de óleo do moto´, ensina Alejandro Till .

´O veículo convertido só troca o óleo a cada 10 mil quilômetros rodado, enquanto o carro a gasolina precisa trocar a cada cinco mil quilômetros´, compara o diretor técnico.

Além disso, ele diz que não deve haver queda na procura por parte dos motoristas em converter seus veículos. ´As pessoas não vão deixar de converter por causa desse aumento´, projeta Alejandro Till.

Para o proprietário da oficina Auto Gás, Evaldo Leandro, o aumento do preço do GNV também não interfere na competitividade do combustível em relação aos outros dois. Relembra que há menos de uma semana foi inaugurado um posto de gás natural, no bairro de Fátima. ´Eu vejo isso como estímulo para usar o GNV´.

Carol de Castro
Repórter

Voltar